Quem sou:

Minha foto

Sou Bacharel em Turismo e Meio Ambiente pela UNESPAR - Universidade Estadual do Paraná/Campus de Campo Mourão. 
Praticante de Artes Marciais desde 2007, graduado Instrutor pela Federação Paranaense de Kung fu Wushu (2011) e Professor em 2012 pela CBKW. 
- Faixa preta, 1º duan pela Confederação Brasileira de Kung fu Wushu. 
- Faixa azul de Jiu-jitsu pela Checkmat e competidor de MMA pela Markine Fight.
- Atualmente sou integrante da Seleção Paranaense e Brasileira de Kung fu Wushu/Sandá 
- Vigilante Patrimonial na empresa Master Vigilância Especializada
- Professor de Boxe Chinês na Academia Markine Fight Centro de Treinamentos Campo Mourão - Paraná.


MEDALHISTA NOS CAMPEONATOS E EVENTOS: 

- Vice-Campeão brasileiro de Sandá (2014), 3º em (2013) e 5º em 2012.
- Campeão estadual (paranaense): (2008, 2009, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015, 2016...) Vice (2010). 
- 1 Grand Prix de Boxe Chinês: 1º colocado - ano: 2009
- Copa Paraná: 1º colocação nos anos: 2008, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015... 
- 6º Torneio da Liga Nacional de Sandá - 1º colocado - ano: 2011
- Kung fu Championship: 1º colocado - ano: 2011
- Ct Dragão DN Toledo - 2º colocado 
- Copa Amizade de Jiu-jitsu Umuarama: 3º lugar - ano: 2013
- Kickboxing em Palotina. Jogos abertos - 1º lugar - 2015
- II MSC MMA Sanda Combat - 1º lugar - 2015
- III MSC MMA Sanda Combat - 1º lugar - 2015
- IV MSC MMA Sanda Combat - 1º lugar - 2015
- I° Markine Fight Combat MMA - 1º lugar - 2016
- II Markine Fight Combate MMA - 1º lugar - 2017

Treinadores e ex-treinadores que contribuíram para o meu desenvolvimento nas artes marciais:

Prof Markine Santos - Sandá 
Prof. Daniel Ramos - Jiu-jitsu - Gracie
Prof Ricardo "Didi" Silva - Jiu-jitsu - Gracie
Prof Kayo Borghi - Jiu-jitsu - Checkmat
Prof João Guedes - Jiu-jitsu - Nova União
Prof. Elpidio Koch Junior - Jiu-jitsu - Gracie Barra Paraná

Frase: "Um atalho é sempre a distância mais longa entre dois pontos. Nada é tão fácil quanto parece, nem tão difícil quanto a explicação do manual."

"Assim como o lutador, o guerreiro conhece sua imensa força; e jamais luta com quem não merece a honra do combate.

O lutador que degusta o tempo, se alimenta de vitórias; pois da perseverança é que provém as conquistas”. (Autor desconhecido)

VISITANTES EM TEMPO REAL

Buda

"A lei da mente é implacável. O que você pensa, você cria; O que você sente, você atrai; O que Você acredita, torna-se realidade."
Boa leitura

Vitórias

"Há vitórias que exaltam, outras que corrompem, derrotas que matam, outras que despertam." Antoine de Saint-exupéry
"Gosto da sinceridade das horas que não falamos absolutamente nada. Só assim tudo é dito em absoluto." (CLARICE FREIRE)

Se sentindo romântico

"Mesmo que o tempo me leve a lugares distantes e me faça esquecer parte da minha vida. Haverá sempre lembranças de você. Prometi guarda-la em minha alma e não no meu coração, porque um dia meu coração deixará de bater, mas minha alma jamais deixará de existir..."

Turismólogo

Turismólogo
Este profissional pode assumir o papel de empreendedor, gestor e administrador, integrando todas as atividades do setor de turismo. Poderá atuar ainda em empreendimentos de turismo, na organização e administração de empresas e empreendimentos turísticos, no planejamento e execução de projetos de turismo regional, nacional e internacional, na programação e organização de atividades de lazer, na docência de cursos profissionalizantes de Turismo, na identificação e avaliação de potencial turístico. No decorrer do curso são desenvolvidos programas de qualidade voltados para o turismo, visando à satisfação do consumidor, à preservação do meio ambiente, à qualidade de vida das populações regionais, ao desenvolvimento sustentável, à formação de mão-de-obra qualificada. O profissional pode atuar em setores de empresas públicas ou privadas, relacionados ao turismo e meio ambiente, empresas de turismo e meio ambiente, escolas, universidades. (UNESPAR/CAMPUS CAMPO MOURÃO, 2014)

segunda-feira, 4 de abril de 2016

TURISMO E TECNOLOGIA / TOURISM AND TECHNOLOGY

TURISMO E TECNOLOGIA: UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE DESBRAVADOR EM PEQUENOS HOTÉIS


Edilson Luis Fernandes
Bacharel em Turismo e Meio Ambiente – UNESPAR
edilsonluis@gmail.com


Resumo
O trabalho foi realizado em um meio de hospedagem na cidade de Campo Mourão. O empreendimento é o Hotel Campo Palace. Esse hotel como outros de médio porte da citada cidade, teve resistência a adquirir o sistema que auxiliasse o desempenho das atividades desenvolvidas na recepção do hotel. O tema central desse trabalho é voltado para a importância de buscar informaçõe sobre novas tecnologias para agilizar as atividades hoteleiras. O Software Desbravador é a ferramenta utilizada no hotel. Esse artigo apontará os motivos pelos quais esse sistema foi adquirido e suas vantagens perante o mercado hoteleiro de Campo Mourão.
Palavras-chave: Turismo, Software Desbravador; Tecnologia em Campo Mourão.

TOURISM AND TECHNOLOGY : DESBRAVADOR USE OF THE SOFTWARE IN SMALL HOTELS

Abstract
The work was done in a way to stay in the city of Campo Mourao . The project is the Hotel Campo Palace . This hotel as other mid-size of said city had resistance to purchase the system that would help the performance of activities at the front desk . The central theme of this work is focused on the importance of seeking information Do on new technologies to streamline hotel activities . The Pathfinder Software is the tool used in the hotel. This article will point the reasons why this system was purchased and its advantages to the hotel market in Campo Mourao .
KeywordsTourism, Pathfinder Software; Technology in Campo Mourão

1. Introdução

A administração familiar nos hotéis tem desenvolvido um importante papel na economia brasileira, 87% dos hotéis no Brasil são administrados por seus familiares e 17% está ligado às redes hoteleiras. Atualmente os hotéis de gerenciamentos familiares encontraram desafios em relação à concorrência, optaram por reduzirem gastos demitindo seus funcionários, a aderirem modelos de gestões competitivas. (BOCATO, 2013).
Na área da tecnologia da informação voltada para as empresas de negócios, os três principais equipamentos que se devem investir em busca de qualidade organizacional é: o Hardware, que são os computadores, impressoras, em resumo os equipamentos eletrônicos; o Software, que é o processamento de dados, são todas as informações armazenadas no computador e o Humanware, que são os colaboradores da empresa. (CASTELLI, 2003).
Partindo do pressuposto que já exista investimento nos outros dois equipamentos o hardware e humanware, as empresas necessitam de informações sobre os softwares pelos quais confiarão as informações dos seus hóspedes, muitos desses proprietários ou gerentes desconhecem a tecnologia desenvolvida para ser utilizada no dia-a-dia dos profissionais da hotelaria, justificando o não investimento nessa área.
A falta de conhecimento na utilização dos programas computacionais, faz com que os gestores de hotéis não visualizem a tecnologia da informação como uma ferramenta capaz de auxiliar no processo decisório diário e cumprir propósitos estratégicos, acredita-se que as ferramentas são utilizadas muitas vezes apenas para tarefas simples (administrativas e operacionais), não sendo reconhecida a amplitude do seu valor competitivo entre as empresas (TERENCE, 2004).
A tecnologia da informação está presente para agilizar os arquivamentos de dados, obter resultados precisos, traçar metas, gerenciar resultados e auxiliar a recepção. (MORAES, 2004). O Desbravador, por exemplo, é um programa que prevê ações rotineiras de fechamentos de contas, de gerenciamentos de estoques e financeiros, outro software desenvolvido é o Queóps Cosmos que possui ferramentas semelhantes e o PentHotel que tem sua utilização voltada para a administração da recepção do hotel. Todos permitem a instalação no sistema Windows.
Sabendo disso, o trabalho buscou fazer uma análise sobre o mercado de hotéis de Campo Mourcou partindo do pressuposto de que a utilização do Software Desbravador pode melhorar o desempenho dos serviços realizados nos meios de hospedagem e dos profissionais da hotelaria em geral.
As hipóteses é que devido a falta de conhecimento para manipular o software Desbravador compromete sua utilização; e também a baixa demanda de hóspedes torna desnecessário a utilização do software Desbravador. O artigo teve como objetivo geral analisar a utilização do software Desbravador em um empreendimento hoteleiro na cidade de Campo Mourão/PR. Tendo como objetivos específicos: Verificar as possibilidades e limites da utilização do software; Identificar os meios de registros de dados no empreendimento; e Propor estratégias de utilização de tecnologia para registros de dados.
O trabalho justifica-se, pois considrendo que o turismo é um fenômeno socioeconômico que consiste no deslocamento temporário e voluntário de um ou mais indivíduos que, por uma complexidade de fatores, que envolvem a motivação humana, saem do seu local de residência habitual para outro, gerando múltiplas inter-relações de importância cultural, socioeconômica e ecológica entre os núcleos emissores e receptores. (BRASIL, 2015)
A complexidade de fatores está relacionada a diversas motivações como: negócios, eventos, férias, lazer, economia, clima, feiras, culturas, enfim, diversos anseios e necessidades. (RIBEIRO, 2014). Para o atendimento a tais necessidades os locais destinos devem dispor de infraestrutura, equipamentos e serviços para atender a demanda de turistas. Os hotéis representam parte do atendimento dessas necessidades.
Esses estabelecimentos geralmente estão localizados dentro das cidades, na zona urbana e próximos a lugares como: restaurantes, teatros, supermercados, facilitando o acesso dos hóspedes a outros meios necessários para sua estada. (BRASIL, 2015).
A importância dos hotéis para o setor faz parte de um mecanismo essencial, de um sistema de serviço à disposição da atividade turística, e que tem evoluído de forma a constituir uma organização complexa, que requer administração técnica e especializada. (TACHIZAWA, 2013).
Além disso, a atividade está ligada diretamente ao fator econômico, à concentração urbana, às facilidades de comunicação e ao desenvolvimento dos transportes, da divulgação da questão ecológica, cultural, política e socioeconômica, fatores que o diferenciam frente a outras atividades.
No ano de 2012, o setor do turismo no Brasil ocupava a 6ª posição em geração de renda entre os países das Américas, Europa e Ásia. Com essa colocação no ranking de faturamentos, investir em infraestrutura, qualificar mão de obra, aumentar a competitividade no setor e incentivar o turismo como um todo será de grande importância para toda a sociedade (BRASIL, 2013). Portanto, o investimento em equipamentos turísticos é inevitável.
Na atualidade alguns meios de comunicação se tornam essenciais para o turismo, como a internet, que disponibiliza informações de variados lugares, facilita a compra de bens e produtos, para atender as motivações humanas que são  diversas.  Neste sentido, o uso desta ferramenta torna-se útil por propiciar agilidade na informação e influenciar na decisão por visitar determinado lugar, favorecendo a realização de viagens e a oportunidade de se conhecer novos lugares e pessoas, novas realidades geográfica e novas culturas.
A internet, a tecnologia aliada ao desenvolvimento do turismo. Com diferentes ramificações, a tecnologia de informatização nos hotéis assume grande importância, apresentando instrumento capaz de propiciar competitividade necessária ao crescimento empresarial. A administração de recursos materiais, financeiros e humanos pode ser realizada com maior rapidez e precisão. Dentre as tecnologias de informação disponíveis no mercado está o software Desbravador.
O software Desbravador é bastante utilizado nos hotéis do Brasil, que possui unidades instaladas em Chapecó – SC, Foz do Iguaçu – PR, São Paulo – SP e Buenos Aires – Argentina, possui também diversos outros escritórios espalhados pelo Brasil. O software disponibiliza ferramentas para registrar e gerenciar os dados dos mais diversos setores do hotel. (HOFFMANN, OLIVEIRA e ZEFERINO, 2012).
Um dos atrativos do Desbravador é o check-in e check-out ágil, e sua plataforma de reservas agiliza a hospedagem, pois seus dados são registrados antes mesmo dos hóspedes chegarem ao destino, logo, com dois cliques os dados dos mesmos são lançados nos devidos apartamentos que serão locados.
O sistema também oferece ferramentas para controle de estoques de produtos, de caixas, de registros de telefonemas dos apartamentos e de notas fiscais. Nesse sentido, torna-se importante a pesquisa desta tecnologia (software Desbravador), para fins de entender as percepções sobre o uso dela, identificar o seu desempenho, analisar se o investimento na tecnologia de informação é benéfico para o setor. Além de ressaltar a importância desse software para os profissionais e gestores que atuam com turismo e principalmente nos meios de hospedagem.

2. Metodologia

A pesquisa foi realizada em apenas um hotel localizado no município de Campo Mourão no estado do Paraná, Brasil. O empreendimento é considerado uma empresa de pequeno porte,  ele utiliza o Software Desbravador. O hotel é classificado dessa forma, por ser uma organização administrada por uma única pessoa. No caso, as competências decisórias ficam a cargo do proprietário, isto é, não são delegadas a subordinados, tudo fica sob o peso de sua gestão centralizada e de sua própria avaliação (GONÇALVES e KOPROWSKI, 1995)
A cidade de Campo Mourão, situada na mesorregião centro ocidental paranaense, com extensão territorial de 757,11 km². O município possui uma população estimada em 92.930 habitantes (IPARDES, 2015), está distante cerca de 460 km (quilômetros) de Curitiba, capital do Estado do Paraná. As principais formas de acesso ocorrem por via terrestre a Campo Mourão, via BR-158 Pato Branco/Campo Mourão; BR-487 Guaíra/Campo Mourão; BR-369 Cascavel/Campo Mourão; BR-487 Ponta Grossa/Campo Mourão e PR-317 Maringá/Campo Mourão. Todos esses acessos são considerados portões de entrada de turistas a cidade (PARANÁ, 2015).
Atualmente o Paraná possui 14 regiões turísticas, o objetivo é abranger determinadas regiões com roteiros, de forma a complementar os atrativos, os serviços e os segmentos de distintas cidades fazendo que não haja turismo em um único município. Dessa forma, o objetivo também é ampliar o mercado turístico e beneficiar um maior número de atores locais (PARANÁ, 2009).
O município de Campo Mourão é pertencente à Região Turística: Roteiros da COMCAM (Comunidade dos Municípios da Região de Campo Mourão) Nessa comunidade existem aproximadamente 25 municípios e o objetivo da COMCAM é fortalecer a aliança entre os poderes públicos e privados e a comunidade, visando planejar e promover as regiões mais isoladas, buscando um maior aproveitamento de recursos financeiros para toda a região, estruturando os destinos turísticos, qualificando mão de obra e se tornar mais competitivo perante o mercado.
  A COMCAM realiza uma festa anual para promover e atrair turistas para as cidades pertencentes a esta comunidade, com objetivo de favorecer a divulgação das cidades, dentre elas encontra-se Campo Mourão com seus atrativos naturais e culturais, com destaque para a gastronomia, formado pela tradicional Festa Nacional do Carneiro no Buraco, fomentando a atração de turistas.
No primeiro momento foi realizada a pesquisa bibliográfica, feita a partir do levantamento de referências teóricas já analisadas, e publicadas por meios escritos e eletrônicos, como: como livros, revistas, artigos científicos, páginas eletrônicas [...] (FONSECA, 2002). No segundo momento será realizada pesquisa de campo utilizando as técnicas de pesquisa de observação sistemática:

“Este tipo de observação é mais usado quando é necessário fazer uma descrição estruturada de uma tarefa ou verificar hipóteses de causas para determinados fenômenos. A principal diferença em relação à observação assistemática é aqui o observador sabe quais aspectos da atividade [...] são importantes para o objetivo da pesquisa, criando um roteiro específico antes do início do levantamento de dados.” (CARVALHO, 2006).

A observação sistemática é um método utilizado para compreender como funciona uma determinada atividade ou tarefa. O pesquisador observa as etapas de um processo, as ferramentas utilizadas, às dificuldades que aparecem, as conversas e resultados do trabalho.
Foi realizada a entrevista com o apoio do formulário para a coleta de informações do objeto de estudo. A entrevista é definida como:

“Técnica em que o investigador se apresenta frente ao investigado e lhe formula perguntas, com o objetivo de obtenção dos dados que interessam à investigação. A entrevista é, portanto, uma forma de interação social. Mais especificamente, é uma forma de diálogo assimétrico, em que uma das partes busca coletar dados e a outra se apresenta como fonte de informação.” (GIL, 2008).

  O formulário é o nome dado geralmente a uma série  de perguntas que são estipuladas por um entrevistador, o mesmo tem o contato direto com o entrevistado.

“Quando a entrevista é totalmente estruturada, com alternativas de resposta previamente estabelecidas, aproxima-se do questionário. Alguns autores preferem designar este procedimento como questionário por contato direto. Outros autores (GOODE e HATT, 1969; NOGUEIRA, 1968; TRUJILLO FERRARI , 1970), por sua vez, vêem neste procedimento uma técnica distinta do questionário e da entrevista, e o designam como formulário. “(GIL, 2008)

 A partir das aplicações desses instrumentos foram obtidos os dados sobre os serviços prestados aos hóspedes, a verificação da utilização do software Desbravador no desempenho do trabalho dos colaboradores do hotel.

3. Resultados

            A pesquisa apontou que o Software é relevante para hotel, no entanto, necessita de mão de obra qualificada para utiliza-lo. Apesar de agilizar os processos corriqueiros de uma recepção, manter os dados armazenados de fácil acesso, ou seja, utiliza-lo de forma operacional, os proprietários desse empreendimento não confia na sua segurança.
Mesmo utilizando o caixa do sistema, outro caixa é feito manualmente, inclusive a planilha de reservas. Pois acreditam que se o programa perder os dados eles terão as mesmas informações arquivadas em “papel”.
Outro ponto observado é que o Software não é utilizado de forma efetiva, ou seja, não é baseado nele que se tomam decisões de investimentos em setores, logo, gerenciamentos estratégicos, não o usa para reconhecer antecipadamente divergências em caixas, estoques ou qualquer outro problema.
            É necessário que haja mais informações sobre esse Software que assim os microempresários possam investir nesse produto e confiar na sua potencialidade.

4. Considerações Finais

O Software Desbravador foi desenvolvido para agilizar, no entanto, existe resistência para a sua utilização. Dúvidas referentes a suas ferraentas pode proporcionar o descrédito necessário que haja mais informações sobre esse Software que assim os microempresários possam investir nesse produto e confiar na sua potencialidade.

 

REFERÊNCIAS

ANDRADE, José Vicente de. Turismo – Fundamentos e dimensões. São Paulo: Editora Ática, 1995.

BARRETO, M. Discutindo o ensino universitário de Turismo. Campinas: Papirus, 2004.

BOCATO. Francisco; GRACIANO, Rafael Ximenes. Gestão familiar na hotelaria: realidades e perspectivas.Revista NUPEM, Campo Mourão, v. 5, n. 9, jul./dez. 2013

BRASIL. Dados e Fatos. 2015. Ministério do Turismo. Disponivel em: <http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/dadosefatos/espaco_academico/glossario/index.html
> Acessado dia 24/09/15.

CAVALCANTI, F. E. M. Qualidade dos Serviços em Hotelaria: uma aplicação da escala de Serviços. RN. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 1997

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

GIL, Antônio Carlos. Métodos e Técnicas de Pesquisas. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GONÇALVES, A.; koprowski, S.O. (1995). Pequena empresa no Brasil. São Paulo: Imprensa

Oficial do Estado: Editora da Universidade de São Paulo.

GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ. 2015. Disponivel em: < http://www.turismo.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=202> Acessado dia 03/11/015.

HOFFMANN, Rosa Cristina; OLIVEIRA, Patricia Santos Marcondes; ZEFERINO, Renato Zanelato. Utilização Estratégica dos Sistemas de Informações Gerenciais no Ramo Hoteleiro da Cidade de Ponta Grossa – Paraná. V.4, Nº1. Revista de Engenharia e Tecnologia ISSN 2176-7270. Paraná: Faculdade Santa Amélia, 2012.

MORAES; Giseli Diniz de Almeida, et. al. A Tecnologia Da Informação Como Suporte À Gestão Estratégica Da Informação Na Pequena Empresa. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação . Vol.1. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2004.

MTUR. 2013. Disponivel em: < http://www.turismo.gov.br/busca.html?searchword=turismo%20%C3%A9&ordering=newest&searchphrase=all&limit=20 > Acessadoa dia 01/11/15

MTUR. 2015 FERIADOS PROLONGADOS. Disponivel em: < http://www.turismo.gov.br/%C3%BAltimas-not%C3%ADcias/5635-finados-%C3%A9-o-segundo-feriado-que-mais-movimenta-a-economia,-revela-estudo.html > Acessado dia 01/11/15.

RIBEIRO, Angelina Sena Carrapatoso. As Motivações Turísticas dos Hóspedes de Negócio em Hotéis de Campo Mourão – Paraná. Paraná: UNESPAR, 2014.

ROSA, Alex Silveira da. Et.al. Um Sistema para Gerenciamento de Hotéis de Pequeno Porte. RS: Faculdade de Tecnologia SENAC RS (FATEC/RS).

SECRETARTIA DO TURISMO. Governo do Estado do Paraná. Orientações Práticas às Instâncias de Governança de Turismo do Paraná. Paraná: Sebrae, 2009.

TACHIZAWA, Takeshy. Et. al. (O uso de tecnologias da informação em hotéis de pequeno porte: um estudo multicaso. Organizações em contexto, São Bernardo do Campo, ISSNe 1982-8756 • Vol. 9, n. 17. SP: FECCAMP, 2013

TERENCE, Ana Claudia Fernandes. At al. Revista de Gestão da Tecnologia e Sistemas de Informação. Vol. 1, No. 1, 2004. 
São Carlos/SP. Tecnologia da Informação Como Suporte à Gestão Estratégica da Informação na Pequena Empresa. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2004.

Postar um comentário

COMO DAR PRAZER AS MULHERES

COMO DAR PRAZER AS MULHERES
Coisas simples que dão prazer as mulheres